Meta para 2017

E ai, todos vivos?

Não gosto de fazer promessas, sobretudo em se tratando de quadrinhos (já falei que sou recordista em projetos abandonados?), mas li em algum lugar que se você não tiver objetivos claros e definidos, é quase certo que realmente não sairá do lugar. Então, um pouco desconfiado, vou tentar estipular uma meta possível:

  • 50 páginas de quadrinhos neste ano.

Sei que neste post falei que o razoável seria produzir 100 páginas em um ano. E sim, esse é o meu número mágico. Mas acho que é uma meta irreal pra mim hoje. Então, vou começar com uma meta possível.

Será que é possível? Vamos tentar.

Arte

Olá, tudo bem?

Mais uma nova historia curta no site. Este mês está sendo mais produtivo. Acho que a premissa de simplesmente fazer, não importa como, tentando cumprir minha meta de 2h diárias (aliás, está difícil atingir essas “poucas” 2h), está me ajudando a sair da inércia. Mas preciso balançar mais o chicote se quero mesmo levar isso à sério.

A ideia da HQ é um pensamento recorrente. De uma forma ou de outra, mesmo quem sente-se livre, está preso a um sistema no qual absolutamente tudo é medido de forma monetária. Em ultima instância somos escravos do dinheiro. E a arte, nesse aspecto, não é exceção.